Simuladores de voo: dos primórdios aos tempos de hoje

Muitos simuladores foram construídos com o propósito de oferecer segurança pessoal e material. Um dos primeiros simuladores que surgiram foi o chamado “Professor de Sanders”, apresentado em 1910. Consistia em um aeroplano modificado montado sobre uma articulação presa ao solo. Nele um era possível assimilar os movimentos necessários para controlar a aeronave e manter o equilíbrio em vôo. A idéia de utilizar um aeroplano fixado ao solo para treinamento elementar foi patenteada na Inglaterra por Eardley Billing no mesmo ano.

O fato curioso é que Billing não tinha a intenção de adaptar um aeroplano para servir de simulador, mas sim construir uma máquina que simulasse uma aeronave. Surge aí o conceito de simulação de vôo. Entretanto, esse simulador dependia do vento para provocar movimentos turbulentos, gerando uma aproximação bastante rudimentar de uma condição normal de vôo. Eram, portanto, montados em eixos que permitiam os mesmos pudessem ser direcionados contra o vento.

Havia, também, uma versão na qual um instrutor provocava os movimentos enquanto o aluno procurava manter o equilíbrio através dos controles conectados por cabos e polias com a base.

Com o tempo e com a evolução dos simuladores, muitos modelos foram surgindo.  Um modelo que se destacou bastante foi o “Barril de Aprendizado de Antoinette”. Dotado também de articulações, resolveu o problema do aluno ter que exercer uma força diretamente contrária à do instrutor.

Curiosamente, no transcorrer da Primeira Guerra Mundial os simuladores de vôo não foram muito utilizados para treinamento de pilotos. A França utilizava-os de maneira significativa. Entretanto, àquela época havia uma enorme necessidade de diminuir o desperdício de recursos. Isso fez surgir os simuladores de vôo através dos testes de aptidão. Eram utilizados simuladores para medir o desempenho do aprendiz em algumas tarefas que representavam habilidades essenciais de pilotagem.

Os dois tipos de testes mais populares eram o de tempo de resposta e o de coordenação.

Em 1915 uma máquina para o primeiro teste foi proposta; ela consistia de uma fuselagem com controles e um aparato elétrico onde a resposta do aluno ao estímulo do treinador podia ser gravada. Destacaram-se, nesta fase, os simuladores de Reid e Burton, que era um aparato controlado eletricamente, montado em uma cabine e que podia gravar o tempo levado para o aluno levar o indicador de atitude à sua posição central.

Erroneamente acreditava-se que tais simuladores habilitavam uma pessoa a se orientar em vôo como em solo. Mais tarde descobriu-se que a orientação depende largamente da visão. Um dos primeiros derivados dessa teoria foi o “Orientador de Ruggles”, que consistia de um assento montado em um anel que permitia rotação total do aluno sobre os três eixos além de movimento vertical. Todos os movimentos eram produzidos por motores elétricos em resposta aos movimentos do estudante ou do instrutor. Esses modelos foram úteis para que os pilotos acostumar com as posições em que eles podiam se encontrar em combate aéreo e proporcionar um treinamento razoável para vôos às cegas.

Fonte: TRABALHO DE TÉRMINO DE CURSO – GRADUAÇÃO DO ALUNO JACKSON PAUL MATSUURA DA TURMA DE 1995 DA DIVISÃO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO – SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – CENTRO TÉCNICO AEROESPACIAL – INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA. TRABALHO No. CDU 629.7.016, – APLICAÇÃO DOS SIMULADORES DE VÔO NO DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE AERONAVES E PERIFÉRICOS – SOB A ORIENTAÇÃO DO PROF. Takashi Yoneyama, ITA/IEEE 1995.

Sobre Eng. Rafael Coronel Bueno Sampaio, PhD.

Projeto & Pesquisa de Sistemas Mecatrônicos e Robótica Móvel
Esse post foi publicado em Mecatrônica, Robôs Aéreos, Simuladores de Voo, Sistemas de Controle, Treinadores e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s