O nascimento do simulador de voo moderno

No começo dos anos 50 os fabricantes de aeronaves não tinham uma boa quantidade de dados analíticos sobre o desempenho de seus aviões e motores, os espaços em branco tinham que ser preenchidos pelos fabricantes de simuladores por tentativa e erro e avaliações de pilotos.      Esta situação mudou com o aumento dos dados proveniente dos programas de teste de vôo. Aliado aos requisitos de movimento e sistemas visuais e a melhoria da exatidão e transferência de treinamento aumentos significantes no hardware dos computadores analógicos se tornaram necessários.

Este período coincidiu com a introdução da segunda geração de computadores digitais, essas máquinas tinham o potencial de resolver os problemas de exatidão e realizabilidade a um custo que se tornou suficientemento baixo para ser utilizado na maioria das aplicações. Como consequência disso houve uma migração completa da tecnologia analógica para a digital, com os computadores analógicos sendo utilizados somente nos simuladores mais simples e nas partes da simulação onde desempenho bom o suficiente só seria atingido digitalmente a um custo muito elevado.

O projeto UDOFT (Universal Digital Operational Fight Trainer) foi iniciado em 1950. Este computador foi fabricado pela Sylvania Corporation e completado em 1960. O UDOFT demonstrou a realizabilidade da simulação digital e era principalmente relacionado com a solução das equações de movimento de uma aeronave.

No começo dos anos 60 Link desenvolveu um computador digital de propósito específico, o Link Mark I, projetado para simulação em tempo-real. Esta máquina tinha três processadores paralelos para aritmética, geração de funções e seleção de estação de rádio.

Ao final dos anos 60 computadores digitais de uso geral projetados primariamente para aplicações de controle de processos mostraram-se adequados para a simulação graças a seus requisitos de grande quantidade de entradas e saídas em tempo real e o uso de máquinas de propósitos específicos caiu. Atualmente os computadores de uso específico são usados somente em aplicações que exigem um processanento muito rápido, como simulação de radar e geração de imagem.

Os simuladores de vôo produzidos até o meio dos anos 50 não eram dotados de movimento. Achava-se que poderiam ser feitos melhoramentos no sistema de movimento dos simuladores por tentativa e erro. Propostas de simuladores de movimento foram feitas por vários fabricantes, mas apenas no fim dos anos 50 as linhas aéreas decidiram comprá-los.

Em 1958, Rediffusion produziu um sistema de movimento de arfagem para o simulador do Comet IV . Sistemas mais complexos foram desenvolvidos para serem capazes de produzir aceleração em até seis graus de liberdade. Vários sistemas para produzir cenas do visual externo foram propostos e produzidos durante toda a história dos simuladores de vôo, entretanto os sistemas visuais realistas e flexíveis são desenvolvimentos bem recentes.

O primeiro sistema visual que obteve uma grande disseminação nos simuladores de aviação civil era baseado num modelo em escala observado através de um sistema de televisão.

O primeiro sistema gerador de imagem computadorizado para simulação foi produzido pela General Electric Company para o programa espacial norte-americano. O progresso nessa tecnologia foi rápido devido ao fato de seu desempenho estar fortemente ligado aos avanços da tecnologia em microeletrônica. O primeiro sistema gerador de imagem computadorizado economicamente utilizável para simuladores comerciais foi produzido pela McDonnell-Douglas Electronics Corporation em 1971.

O simulador de vôo atingiu sua forma moderna no final dos anos 60.

Fonte: TRABALHO DE TÉRMINO DE CURSO – GRADUAÇÃO DO ALUNO JACKSON PAUL MATSUURA DA TURMA DE 1995 DA DIVISÃO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO – SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – CENTRO TÉCNICO AEROESPACIAL – INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA. TRABALHO No. CDU 629.7.016, – APLICAÇÃO DOS SIMULADORES DE VÔO NO DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE AERONAVES E PERIFÉRICOS – SOB A ORIENTAÇÃO DO PROF. Takashi Yoneyama, ITA/IEEE 1995.

Sobre Eng. Rafael Coronel Bueno Sampaio, PhD.

Projeto & Pesquisa de Sistemas Mecatrônicos e Robótica Móvel
Esse post foi publicado em Aeronaves, Avião, Controle, Mecatrônica, Robôs Aéreos, Simuladores de Voo, Sistemas de Controle, Treinadores e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O nascimento do simulador de voo moderno

  1. Peço desculpas pela falha, já está referenciado!
    Um abraço,

    Rafael

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s